PMBOK: Ferramentas e Técnicas - Avaliação da Probabilidade e Impacto dos Riscos


O Conceito de Probabilidade de Ocorrência


Todos os riscos têm uma probabilidade de ocorrência maior do que zero e menor do que 100 por cento.

Um risco que tenha uma probabilidade de zero não pode ocorrer e não precisa de ser considerada como um risco do projeto. Já um risco que tenha uma probabilidade de 100 por cento não é um risco, mas uma ocorrência e deve ser devidamente planeado no âmbito do plano do projeto.


Conhecer a probabilidade de ocorrência de um determinado risco é essencial para a avaliar de forma correta o grau de risco global do projeto. É necessário compreender os fundamentos do cálculo de probabilidades se quisermos compreender o papel da probabilidade na análise de risco.

A probabilidade é o número que representa a possibilidade de, em determinadas condições, um determinado resultado ocorrer. Por exemplo no lançamento de um dado de jogar em que cada uma das faces tenha um número de 1 até 6, a possibilidade de saída de números são: 1,2,3,4,5,6. A probabilidade de, num único lançamento, sair cada um desses números é de 1/6.

O evento lançamento de um dado é considerado um evento mutuamente exclusivo. Isto é, ao lançarmos um dado, não é possível que saia mais do que um e só um número.

Da mesma forma que no exemplo do lançamento dos dados, também na gestão de risco é frequente que os riscos sejam mutuamente exclusivos, no sentido em que, ou o risco ocorre ou não ocorre.

Na presença de eventos mutuamente exclusivos, a soma das probabilidades de todas as coisas que, em determinadas circunstancias, podem ocorrer será igual a 1. Dito de outra forma, 1 será a soma da probabilidade de ocorrência de todos os resultados possíveis dado um conjunto especifico de circunstancias.

O conceito de probabilidade pode também ser definido com base na frequência relativa em que determinado acontecimento se verificou no passado. De acordo com esta definição, a probabilidade de um qualquer resultado ou evento é a proporção em que, no passado, esse mesmo resultado ou evento ocorreu. Este tipo de avaliação é o que mais frequentemente se usa para a tomada de decisões e no contexto da gestão de risco.

Quando, nas organizações, podemos confiar na experiencia passada e nas observações, isso é um precioso auxiliar de gestão uma vez que, o que isso quer dizer, é que podemos usar a definição de frequência relativa para avaliar a probabilidade de um dado acontecimento se realizar.

Na gestão de risco, o uso da frequência relativa para calcular a probabilidade de ocorrência de determinado acontecimento enfrenta dois tipos de dificuldades. Em primeiro lugar, pressupõe a existência de dados históricos em quantidade e com qualidade suficiente; Em segundo lugar, pressupõe que as circunstâncias passadas são exatamente iguais às circunstâncias futuras.

Quando não é possível calcular a probabilidade com base na frequência relativa dos acontecimentos passados, resta-nos usar uma probabilidade subjetiva, isto é, a melhor estimativa que pode ser feita para prever o resultado futuro, com base num conjunto de condições que são conhecidas.

Impacto nos Objetivos do Projeto (Quantitativo e Qualitativo)


Depois de conhecermos as probabilidades dos riscos identificados, temos de avaliar o impacto que os acontecimentos subjacentes a cada um desses riscos terão nos objetivos do projeto. O impacto do risco é o custo em que o projeto incorre se o acontecimento subjacente ao risco de facto ocorrer.

Para além da avaliação qualitativa do impacto dos riscos do projeto, os riscos mais prioritários devem ser sujeitos a um processo de avaliação quantitativa do impacto que permita adequar o orçamento do projeto aos riscos identificados (criação de uma reserva de contingência para fazer face aos riscos identificados).

As medidas quantitativas incluem o impacto do risco identificado em termos da duração das atividades do projeto, o esforço de horas por pessoa e custos.

Impactos de risco são aquelas coisas que afetam o custo, cronograma ou âmbito/escopo do projeto. Esses impactos podem manifestar-se em aumentos ou diminuição do nível de esforço necessário, duração das atividades, viabilidade técnica, adequação de recursos, custo e/ou disponibilidade.

Valor Esperado



O valor esperado é uma forma de combinar a probabilidade e o impacto de um risco de uma forma significativa. O cálculo do valor esperado é feito pela multiplicação simples da probabilidade (representada por um valor maior que zero e menor que 1) e o impacto. Apesar de poder ser medido em qualquer valor que se considere adequado à realidade do projeto, o impacto é geralmente medido em termos monetários ou do número de dias de trabalho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

9 Programas de Software Grátis para Gestão de Projetos

PMBOK: Ferramentas e Técnicas - Estimar Custos do Projeto

Como Fazer o Plano de Comunicação do Projeto